O velho da lancha é ela: conheça o império de Isadora Nogueira

10 de May | 2022

No último episódio desta temporada de [email protected] do Dinheiro – Edição Girlboss, Isadora Nogueira conta como é possível transformar um momento em oportunidades de negócio.

Por Me Poupe!

Tudo começou com um vídeo postado num dia qualquer de diversão em família. O que Isadora Nogueira, influenciadora com quase 6 milhões de seguidores nas redes sociais, não sabia é que ela transformaria a repercussão desse vídeo em uma ótima oportunidade de negócios. No plural mesmo.

E a história é assim: num belo dia, passeando de lancha com a família, um cara qualquer respondeu o story que ela havia postado no Instagram dizendo que com certeza teria um “velho” bancando o passeio.

A resposta de Isadora foi certeira: “o velho da lancha sou eu”. Depois de dizer que não faz o menor sentido esse comportamento dos homens de não acreditarem no potencial de mulheres de construírem grandes impérios, o vídeo viralizou.

E aí, foi a grande sacada de Isadora: mesmo já conhecida, ela aproveitou o momento e transformou uma repercussão incrível em algo ainda mais incrível.

O resultado? Bom, você pode conferir aqui o que aconteceu ou dar uma espiada nos highlights deste bate-papo.

Nath: Como foi transformar um viral – que já é algo difícil de se conquistar – em uma oportunidade de negócio contínua?

Isadora: Como não foi o meu primeiro viral, eu já havia criado um padrão para não perder tempo quando isso acontecer. Eu sei que não consigo criar vídeos virais constantemente, mas trabalho com a receita daquilo que já funcionou.

Além de continuar testando e anotando, eu sempre levo em consideração dois pontos: saber o que cria uma identificação com o público e tentar criar alguma coisa que ninguém nunca fez.

E isso é muito difícil porque hoje em dia todo mundo está fazendo tudo. Só que, hoje, eu sei que devo tentar ao adotar uma expressão diferente, trazer temas que não são o que as pessoas esperam ou dançar uma música que tá nas trends de uma forma diferente.

Nath: Ainda tem gente que te pergunta quando você vai começar a trabalhar?

Isadora: Tem gente que pergunta sim porque tem gente que acha que estar na internet não é um trabalho. A galera não conseguiu entender ainda que a internet virou um trabalho há muito tempo – e um negócio que você consegue viver daquilo ali.

Nath: Como você explicaria o que você faz para uma pessoa que nunca acessou a internet?

Isadora: Eu me comunico com várias pessoas em todos os lugares do mundo que eu quiser. Porque é isso que você faz dentro da internet, você distribui o seu conteúdo para milhares de pessoas, falando sem censura ou vendendo o que você quiser.

Nath: Como é o seu processo criativo?

Isadora: Eu deixo as ideias virem. Claro que eu trabalho a minha mente para que ela esteja sempre produzindo, porque, se não, ela fica uma mente preguiçosa.

Eu estabeleço uma rotina semanal e diária, organizando os meus horários pra escrever os meus roteiros e gravar meus vídeos. Também indico num cronograma semanal para registrar todas as ações que devo seguir e as metas que quero atingir naquele momento.

Nath: Quando foi que você percebeu que você tinha um negócio?

Isadora: Quando eu era criança e me perguntavam o que eu queria ser quando crescer, eu sempre respondia: famosa. Mas eu não tinha a menor ideia de como fazer e como monetizar isso.

Eu curti toda a trajetória até aqui, aprendendo tudo do zero. Conquistei a fama e aí me perguntei: e o dinheiro? Achei que vinha um combo, você fica famosa e aparecem uns milhões na sua conta.

Só que você precisa fazer o dinheiro vir junto e correr atrás dele. Comecei a monetizar fazendo publicidade para as marcas da cidade onde morava, até que eu fiquei grande demais e não conseguia mais fechar contrato pelo valor que eu cobrava.

E eu sempre quis mais e tenho um objetivo de onde quero chegar. Foi quando eu me mudei pra São Paulo e, em uma semana, ganhei mais dinheiro aqui do que a minha vida toda.

Nath: De onde veio a ideia de criar o vinho “Velho da Lancha”?

Isadora: Eu tomei um vinho muito gostoso uma vez e quis divulgar. Mas, daí pensei: “se eu vou botar dinheiro no bolso dos outros com a divulgação, por que não coloco no meu? Por que eu não tenho o meu vinho?”.

Peguei o contato de quem faz a produção, marquei uma reunião, me apresentei, falei que queria lançar um vinho meu e adoraram a ideia. Expliquei como seria o nome do vinho e fechamos o negócio no ano passado.

Nath: Você já perdeu o controle com o dinheiro?

Isadora: Nunca tive problema com isso. Porque, de problema, já bastava de quando não tinha dinheiro. Eu não dou um passo maior do que a minha perna. Tudo o que eu faço, o dinheiro está ali e já está carimbado. Tudo o que as pessoas veem que eu estou fazendo, está ao meu alcance.

Nath: Agora, me conta três dicas para quem quer empreender.

Isadora: Primeiro, ter um objetivo. Sem isso, você não vai saber aonde quer chegar.

Segundo, você tem que ter atitude para fazer aquilo acontecer. De nada adianta ficar mentalizando porque as coisas não acontecem sem você fazer nada.

E aí, ter foco para manter aquilo funcionando e não se perder na jornada. O foco envolve várias coisas, como administrar tudo o que está acontecendo, ter o foco no seu dinheiro, no seu objetivo e nas suas atitudes. É com o foco que você consegue atingir o seu objetivo.


A nossa última “[email protected] do Dinheiro” mostrou que não ter um objetivo quando se tem um sonho pode acabar botando tudo a perder. Tá vendo só como os ensinamentos da musa Nath, como carimbar o dinheiro e traçar metas, podem fazer TODA a diferença na sua jornada? A Isadora tá aí pra não deixar a gente mentir…

Olha, esse papo tá hilário e super sincerão! Então, se ainda quiser assistir na íntegra, é só clicar aqui.

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Seja o primeiro a deixar seu comentário