Metas financeiras: como estabelecer e alcançar as suas?

20 de October | 2022

Tá comprovado: definir metas financeiras te faz lidar melhor com seu dinheiro e conquistar seus sonhos. Descubra como estruturá-las de forma clara e objetiva!

Por Me Poupe!

 

Se um dia você encontrar Nathalia Arcuri na rua e ela te perguntar quais são suas metas financeiras, você saberá o que responder?

 

Gelou com esse cenário, né? Então, temos certeza de que você ainda não definiu muito bem quais são os seus objetivos de vida. Consequentemente, você não tem estratégia alguma na hora de poupar e dar um direcionamento para o seu dinheiro.

 

Afinal, definir suas metas financeiras vai bem além do que apenas “guardar uma grana”. Desenhar seus objetivos te ajuda a estabelecer perspectivas e a construir a história da sua vida.

 

Se você é Me Poupeira! ou Me Poupeiro! raiz, já deve ter ouvido a Nath falar muitas vezes sobre definir suas metas financeiras.

 

Porém, se você não tem a menor ideia do que estamos falando, pega papel e caneta que vamos te explicar o que são metas financeiras, como construí-las levando em consideração alguns períodos de tempo, como ter certeza de que aquele objetivo é concreto e viável, além de mostrar quais comportamentos você tem e que dificultam a finalização delas. Bora lá?

Metas financeiras: como estabelecer e alcançar as suas?

O que são metas financeiras?

Metas financeiras são objetivos que você determina para transformar em realidade um sonho. Aqui, vale de tudo: de um tênis novo à independência financeira.

 

Mas um alerta importante: você pode sonhar com coisas que estão muito além da sua realidade financeira. Por isso, antes de sair mirando em metas mirabolantes, você deve ser capaz de responder a duas perguntas:

  1. Eu sou capaz de transformar esse sonho em realidade ou ele está completamente fora do meu atual cenário?
  2. Será que estou disposto a me organizar financeiramente para tornar este sonho realidade?

 

Em outras palavras, você deve equilibrar sua vida financeira para tornar algumas coisas possíveis.

 

Estabelecendo metas financeiras reais

 

Por exemplo, a Joaquina tem uma dívida de R$5.000 com um banco e mais R$8.000 com um cartão de crédito. Porém, ela sonha em ir pra Orlando e fazer várias comprinhas. Com um salário de R$3.500 por mês, faz sentido ela se planejar e ir para Orlando, mesmo com essa dívida?

 

Longe de nós dizer que a Joaquina está proibida de ir para Orlando. O nosso ponto aqui é mostrar que a prioridade da Joaquina seria limpar o nome dela para, em seguida, planejar a sua viagem.

Por que devo abrir mão de algumas coisas para planejar meu futuro?

A maioria das pessoas diz que planejar o futuro é MUITO difícil. Mas, podemos jogar a real? Isso só continua sendo difícil se você não mudar a sua mentalidade.

 

Afinal, ao começar a cuidar melhor do seu dinheiro, a forma como você pensa os seus gastos será a primeira a mudar. Isso te ajudará a romper com aquela mentalidade do “eu gasto tudo que ganho”.

 

Assim, ao ter essa transformação já incorporada na sua mente, fica mais fácil desenhar as metas financeiras a curto, médio, longo e longuíssimo prazo. Ou, como a própria Nath nomeou carinhosamente de metinhas, metas, metonas e metazonas.

 

Logo, tendo clareza das suas metas financeiras, poupar se torna muito mais fácil, racional e estimulante. Afinal, existe um “porquê” abrir mão de algumas coisas e deixar de fazer outras, né?

 

Dá só uma olhada no que a Nath explica sobre isso:

Por que metas financeiras são importantes?

Ao termos clareza de quais são as nossas metas financeiras, acontecem duas coisas muito legais: valorizamos ainda mais o dinheiro que ganhamos e desenhamos estratégias para atingir determinado objetivo – e, assim que ele é conquistado, já tem outro na fila, o que cria um fluxo estimulante.

 

Pensa aqui com a gente: com certeza você já se arrependeu de uma compra que fez por impulso e de um gasto de dinheiro ‘à toa’. Ao ter em mente essas metas individualizadas, você vai deixar alguns hábitos para trás e mirar na meta definida.

Como criar metas financeiras?

Criar metas financeiras depende de duas coisas: sonho e estratégia. Isto posto, vamos te explicar melhor como você pode trabalhar esses dois aspectos.

Como tornar meu sonho concreto?

Quando falamos de um sonho como meta financeira, não é sobre uma vontade vaga, como, por exemplo, “quero trocar de celular”. O ideal é você ter uma meta concreta e objetiva: “quero trocar meu celular pelo modelo XYZ da marca XPTO em 6 meses. Para isso, preciso juntar R$4.000. Pra conseguir esse montante, preciso separar, pelo menos, R$670 por mês”.

 

No livro “Sem Esforço”, Greg McKeown explica que ter clareza de qual é o aspecto de um projeto finalizado, além de nos ajudar a terminar, também nos ajuda a começar.

 

Muitas vezes, temos preceitos – que são aquelas regras ou princípios que guiam o nosso comportamento – enraizados na nossa mente. Com isso, se nossa vida como um todo está repleta de preceitos, imagina quando o assunto são finanças!

 

Infelizmente, muita gente ainda acredita que entender de economia e investimentos é só “coisa de rico ou de economista”. Ou pior: que você não precisa se preocupar com o seu dinheiro porque só se vive uma vez e é preciso aproveitar a vida!

Olha, viver requer muita responsabilidade – e com as finanças não é diferente. Para entender melhor sobre isso, leia este outro artigo.

 

O que estamos querendo dizer é que, com frequência, procrastinamos ou temos dificuldade de dar os primeiros passos nas nossas metas financeiras, porque não temos em mente uma linha de chegada clara.

Assim, ter clareza do resultado nos concentra mais do que qualquer outra coisa. Ter essa clareza nos ajuda a ver o que almejamos de forma palpável. Dá só uma olhada no exemplo desta tabela:

 

Metas financeiras vagas O aspecto do projeto finalizado
Investir Vou investir R$ 250 todo mês para construir minha reserva de emergência
Economizar mais Ao final do mês, tenho R$ 200 investidos e R$ 500 sobrando na conta
Juntar dinheiro Em 3 meses, juntei R$ 1.000 para comprar uma viagem para Natal
Quitar dívidas Quitei a minha dívida no cartão de crédito e aprendi a não gastar mais do que ganho

 

Viu como fica mais simples ter as metas financeiras bem definidas? Copie esta tabela num caderno ou baixe a imagem abaixo para você traçar com mais clareza as suas metas:

 

Metas financeiras vagas O aspecto do projeto finalizado

 

Como definir uma estratégia para alcançar minhas metas financeiras?

Vamos falar sobre a estratégia para alcançar suas metas financeiras? Aqui, levamos em consideração diversos pontos, como a sua renda, se você faz renda extra ou não, o montante final a ser acumulado, o quanto você pode juntar por mês e qual o prazo para você juntar aquele dinheiro.

 

Uma forma de desenhar uma estratégia é separar cada uma das suas metas financeiras de acordo com o prazo que você definiu. E você pode separá-las de acordo com os conceitos de metinhas, metas, metonas e metazonas. Calma que vamos explicar tudo pra você a seguir!

Metinhas

Se referem a uma conquista que você quer em um curto período de tempo, como a compra de um tênis ou a matrícula em um curso rápido, por exemplo.

Metas

As metas levam em consideração um período um pouco maior de tempo, mas no curto prazo. Suas metas podem ser desenhadas entre 1-3 anos, dependendo do que você tiver em mente. Aqui, podemos trazer de exemplo uma viagem internacional ou montar sua reserva de emergência.

Metonas

As metonas envolvem um planejamento para médio prazo e os exemplos clássicos são a compra de um carro ou de um imóvel.

Metazonas

Finalmente, as metazonas são aquelas ações que queremos fazer no longo prazo. Um bom planejamento nessa situação é essencial. Algumas coisas que podem ser atingidas com as metazonas envolvem a mudança para um outro país, aposentadoria ou independência financeira.

Como adaptar suas metas financeiras à sua realidade?

Por mais que seja importantíssimo ter metas financeiras bem definidas, é preciso dar um passo atrás e entender se essa meta se encaixa em seu contexto de vida, se está dentro da SUA realidade financeira.

 

E se não estiver, não tem problema. Você tem duas opções: mudar outros hábitos e começar a fazer renda extra para conquistar o seu objetivo, ou repensar essa meta.

 

No Pimp My Money, reality da Me Poupe!, nós nos deparamos muito com essa situação que citamos acima.

 

A maioria dos participantes tinha um objetivo em mente e já investia. O grande problema é que, com a atual formatação das carteiras e o planejamento para os próximos anos, dificilmente conseguiriam atingir esses objetivos.

 

A Nath, inclusive, dá um super puxão de orelha em você, que tem um sonho, mas não tá muito claro ainda sobre o que fazer e começa a se sabotar. E não existe coisa pior do que ver ruir o trajeto até suas metas financeiras, não é mesmo? 

 

Então, dá uma ouvida nesse episódio do podcast enquanto lava louça pra aprender a lidar melhor com seus objetivos:

Como validar minhas metas financeiras?

OK, você já entendeu que existem alguns preceitos que te travam na hora de conquistar suas metas financeiras e como é importante ter uma definição clara e concreta dos seus objetivos. Também te mostramos que de nada adianta você ter um sonho e ele ser extremamente vago.

Por exemplo, você pode nos dizer que quer juntar R$ 100.000. Tá, mas pra quê? Em quanto tempo? O que você vai fazer para ter essa grana?

É por isso que tornar suas metas financeiras viáveis vai muito mais além de simplesmente saber que você vai ter o dinheiro para isso. Tornar suas metas financeiras viáveis é entender se ela faz sentido pra sua realidade, se ela é viável e se você vai conseguir conquistá-la levando em consideração o seu estilo de vida.

Uma forma de validar suas metas financeiras é com a estratégia da meta SMART, que funciona como uma espécie de checklist e te ajuda a avaliar os diferentes pontos que formam essa sigla.

Com ele, você vai verificar se cada meta é plausível e avaliar se possui os requisitos necessários para atingir o resultado.

A sigla “SMART” é formada por cinco letras,  cada uma com um significado.  Veja a seguir o que representa cada uma delas e como aplicar essa estratégia na prática:

S — Specific, ou específica

Para alcançar o que foi proposto em uma meta, é necessário entender qual é o real objetivo das suas metas financeiras. Para isso, ela deve ser específica e responder às seguintes perguntas:

  • O que eu quero alcançar com essa meta?
  • Quem será ou quem serão os responsáveis por ela?
  • Onde ela será realizada?
  • Como ela será conquistada?
  • Por que ela deve ser seguida?

 

Reforçando: nada das suas metas financeiras serem do tipo “enriquecer”, “pagar os boletos” ou “curtir sem me preocupar”. Tenha uma definição concreta de qual vai ser a sua meta e faça o levantamento de QUANTO você realmente vai precisar para realizar o que deseja.

 

Por exemplo: se sua meta é “pagar os boletos sem me preocupar com o fim do mês”, você deve saber quanto precisa ter investido para render mensalmente o suficiente para pagar suas contas.

M — Measurable, ou mensurável

Para tornar meta mensurável, você deve responder a essas questões:

  • Qual é o resultado esperado?
  • Quanto tempo será necessário para alcançar a meta?

 

A Joaquina, por exemplo, quer comprar uma geladeira e decidiu que juntaria R$ 2.400,00 em 10 meses. Porém, por 2 meses ela não conseguiu separar o dinheiro para esse objetivo.

 

Nesse caso, é importante mensurar o quanto ela foi prejudicada e entender se ela será capaz de separar um dinheiro a mais nos próximos meses ou se adia em 2 meses essa compra.

A — Attainable, ou atingível

Não dá para estabelecer como meta algo que você não pode alcançar, né, criatura?! Ter os pés no chão é fundamental!

 

Pode parecer óbvio, mas muita gente peca nesse ponto! Esse erro é prejudicial e pode te desmotivar ao longo do caminho.

 

Anota isso aí que essa frase ficou bonita: estratégias e ações são desenhadas e alcançadas se você entender que essa meta é atingível.

 

Portanto, antes de criar uma meta, avalie o seguinte ponto:

  • Com base no seu histórico, você acha que é possível atingir o objetivo traçado?

 

Retomando o exemplo da geladeira: se a Joaquina passou por uma vitrine, viu uma geladeira duplex maravilhosa e se apaixonou à primeira vista. “É essa!”, ela pensou. Mas essa nova geladeira custa R$ 5800 – é o dobro do que ela tinha se proposto a juntar. Assim, a meta que ela traçou anteriormente não é adequada, por não ser realizável nessas condições.

 

Mas isso não impede a Joaquina de traçar uma nova meta financeira, aumentando seu aporte mensal ou o prazo, conforme sua realidade. Ter um sonho bem definido e conquistá-lo é o que importa, certo?

R — Relevant, ou relevante

Lembra que, quando você cria suas metas financeiras, deve desenhar estratégias para que os resultados sejam alcançados? Então, quanto mais relevante for a meta, mais motivado você estará.

 

REFORÇANDO: suas metas financeiras devem ser alcançáveis, hein?!

 

Se a sua meta não for realmente relevante para a sua vida, a probabilidade de algo mais importante atravessar seu caminho até ela, é grande.

 

Por isso, leve essa frase como lema: quer alcançar suas metas? Planeje o que é realmente relevante pra você.

T — Time based, ou temporal

O último ponto das metas SMART é extremamente importante: o prazo para você concretizá-la. 

 

Sem a data na agenda, a vida vai se encarregando de mudar as prioridades e seus sonhos vão ficando em segundo plano, ou seja, sem um prazo, você fica sem parâmetros para mensurar se está indo bem.

Então, deu pra entender que se você não definir um prazo para atingir suas metas financeiras, elas nunca serão concretizadas?

 

Um resumo sobre metas financeiras

E aí, conseguiu aprender tudo sobre a definição de metas financeiras? Prepara o papel e caneta para anotar esse resumão que vai virar um mantra na sua vida!

  1. Tenha clareza sobre as suas prioridades. Ter um objetivo concreto torna muito mais fácil o processo de desenhar e atingir uma meta.
  2. Entenda se o seu planejamento está funcionando e vai dar certo. Nada de ser perfeccionista! Passaram-se dois meses e sua meta não saiu do papel? Hora de rever suas estratégias!
  3. Tenha cuidado para o seu sonho não ser ambicioso demais ou estar muito além da sua alçada no momento. Por isso, certifique-se sempre que você tem uma meta SMART: audaciosa, porém realista. Se a meta ainda assim for desafiadora demais, divida em partes menores e gerenciáveis.
  4. Tenha foco. Se você tem uma meta, ela é relevante e está alinhada aos seus valores, porque ficar desperdiçando energia em todas as oportunidades que aparecem?
  5. Se a sua meta existe só na sua cabeça, cuidado! Essa é a receita para se dar mal. Você esquecerá as coisas, terá muito mais dificuldade em cumprir prazos e… quanto mesmo que você precisava investir? Por isso, tire essa meta da sua cabeça e coloque no papel – ou na planilha, na agenda. O fato é que não importa como você irá se planejar para alcançá-la, isso deve estar registrado. E não apenas na sua memória. 

 

Agora, anote no quadro abaixo a sua meta e tente detalhá-la o máximo possível. Colocamos até um exemplo para te inspirar. Lembre-se: quanto mais estruturadas estiverem as suas metas financeiras, melhor será para você!

 

Para tirar essa meta do papel

Eu preciso juntar R$ 2.400 para comprar uma geladeira até 10/02/2023  porque a minha está velha e gastando muita energia. Para isso, vou guardar 10% do que ganho e fazer uma renda extra de, no mínimo, R$ 500 por mês

 

Para tirar essa meta do papel

Eu preciso juntar R$ _____ para ____________________________ até __/__/__  porque __________________________________________. Para isso, vou ______________________________________________. 

 

Como criar metas na prática?

Muitas pessoas que já passaram pela Jornada da Desfudência conseguiram entender melhor quais são as suas metas financeiras e como torná-las realidade – inclusive, antes do prazo pré-estabelecido.

 

Esse é o caso do Fernando Amado, que nos contou que a família toda entrou em uma reeducação financeira e desintoxicação de crenças limitantes. Ele entrou no curso saindo de dívidas e conseguiu sair com metade da reserva de emergência montada! E detalhe: no planejamento dele, a reserva seria montada em 3 anos. Fantástico, né?

 

O mesmo aconteceu com a Simone Gomes, que entrou na Jornada como leiga e conseguiu aprender a construir metas e torná-las reais.

ENTÃO, PARA TUDO: As matrículas para a ÚLTIMA TURMA da Jornada da Desfudência estão abertas, ou seja, é a sua última chance de passar pelo treinamento completo da @nathaliaarcuri que já revolucionou a vida financeira de mais de 54 mil pessoas!

A sua independência financeira está a um clique de distância, garanta a sua vaga aqui!

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Seja o primeiro a deixar seu comentário